fbpx

Dor significa resultado na musculação?

Uma pergunta frequente nas academias é sobre a dor muscular tardia (DMT) aquela dor que você sente no dia seguinte ao fazer uma seção de treinamento e tem seu pico 24 a 48 horas após o exercício. Geralmente ela surge quando você é iniciante em um programa de treinamento, está retornando a praticar exercícios por longos períodos, está parado, há uma mudança na intensidade do seu treinamento ou se eles estão durando mais tempo.

Mas, para lhe tranquilizar, a DMT é normal do nosso organismo a um esforço que não é do habitual, e essa dor é parte de um processo de adaptação do corpo que leva consequentemente ao musculo obter mais força na proporção em que se recupera e se desenvolve, em alguns casos essa dor pode incomodar muito.

A maioria das pessoas acreditam que essa dor é advinda da liberação do ácido lático, o que de fato não, poque o acúmulo dessa substância é rapidamente estabilizado pelo nosso corpo e após 25 minutos de repouso ele já não se faz mais presente. Então não pode ser o ácido lático o responsável pelas dores.

A DMT é   normalmente um processo de micro lesões causadas pela contração muscular no qual gera um processo inflamatório, esse processo é que se dá o estímulo para se hipertrofiar a musculatura, sintomas mais comum da DMT tensão muscular, limitação dos movimentos ao alongar, inchaço, todo esse processo consiste em se adaptar, crescer e melhorar.

Em muitas literaturas e pesquisas se defende que não precisa uma dor terrível para você ganhar hipertrofia, logo uma leve sensibilidade é importante até pela resposta gerada pelo estresse muscular do dia anterior. É incorreto afirmar que a DMT é sinônimo de resultado o estímulo muscular deve ser adequado para que induza uma resposta neuromuscular apropriada para intensidade, sessões de treinamento com desgaste grandes e frequentes causaram uma possível lesão em vez de lhe dar resultados pretendidos.

Para evitar a DMT alguns estudos abordam que o aquecimento antes do exercício ajuda a evitar ou diminuir essas dores. Progredir devagar, evitar sobrecargas, importante saber quando seu corpo está pronto para seguir adiante. É de fundamental importância também a frequência nos treinamentos e não necessariamente que ele seja intenso “um passo de cada vez”.

Outra dica é reduzir os pesos e fazer mais repetições assim você prepara seu corpo para intervenções maiores lá na frente diminuindo a DMT, começar com 12 a 15 repetições e cargas leves aumentando a carga devagar e diminuindo as repetições dentro de algumas semanas de treino.

Postura correta ao fazer os movimentos também ajuda a evitar a DMT além de evitar lesões graves.

Evite parar por muito tempo, se isso acontecer procure fazer exercícios como caminhadas, corridas, pedalar o importante é deixar o corpo em movimento.

Evite mudar de forma brusca a intensidade do seu treino seja nos pesos na academia ou na corrida na rua, se por exemplo corre 5km não vá de repente querer correr 10km aumente aos poucos.

Recuperação ativa muito usado por atletas, essa técnica é comprovada cientificamente fazer atividades aeróbicas leve como uma bicicleta ou esteira melhora o fluxo sanguíneo diminuindo as DMTs.

Alongamentos após o treino também é uma boa opção para diminuir as dores musculares tardia.

Essas são algumas dicas para diminuir as DMTs, já que as mesmas não tem tratamento efetivo, o que existe é que algumas práticas bem aplicadas podem evitar ou diminuir mas um bom descanso ajudaria bastante, evite fazer movimentos intensos até que a dor desapareça a níveis suportáveis ela passara de 3 a 10 dias se persistir além disso procure um medico pois pode ser algo mais grave.

É sempre importante uma boa orientação do profissional de educação física para ajudar a potencializar seus resultados isso faz toda diferença.

Por: Guto Barros

Facebook
Twitter
LinkedIn

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.